Nascido no final dos anos 90 numa pequena aldeia de Ponte de Lima, testemunhei o início da transformação digital até ao ponto em que se encontra agora, uma verdadeira revolução. Desde os livros de registos escritos à mão nas lojas e empresas tradicionais, à entrada na era da supremacia digital, este processo está acontecer a uma velocidade estonteante nunca vista por estas bandas.

Numa região como o Minho, onde o isolamento geográfico das grandes massas sempre influenciou todas as empresas e o público, o impacto desta transformação é profundo, uma vez que a era digital atenua a distância. Esta transformação está a redefinir a forma como as empresas locais operam, interagem com os clientes e estendem-se para além das limitações geográficas que operam, fora do alvoroço diário e constante das grandes metrópoles portuguesas.

Gostaria de partilhar convosco a minha perspetiva sobre o que esta transformação digital e o que a mesma significa para as empresas em regiões pequenas e/ou isoladas.

No Minho, as empresas locais tradicionalmente operavam numa área geográfica limitada, muitas vezes restrita a áreas específicas. Os canais digitais vieram ajudar estas empresas a ultrapassar facilmente estas limitações. Hoje, as empresas podem ampliar o seu alcance para todo Portugal Continental, Ilhas e expandir para toda a Península Ibérica.

Outra das maiores vantagens da transformação digital é a capacidade de personalizar o público que se pretende alcançar. Ao contrário dos métodos tradicionais de publicidade física, os canais digitais permitem um direcionamento preciso. Muitas empresas não são lojas gerais, são especialistas em produtos ou serviços específicos, assim podem personalizar o seu público, adaptando esses produtos e serviços aos interesses e necessidades dos clientes atuais ou potenciais.

A transformação digital não se resume apenas a satisfazer a procura local; trata-se de entrar no palco global. As empresas estão cada vez mais a olhar para o mercado internacional, especialmente no setor do turismo. À medida que os olhos do mundo se viram para as zonas mais recônditas do Minho, os turistas pesquisam ‘online’ antes e durante as suas visitas. Assim, o atrativo da região estende-se para os mais variados Locais do Alto e Baixo Minho, atraindo a atenção de turistas que chegam com uma mentalidade digital em primeiro lugar.

Estes turistas utilizam plataformas digitais para pesquisar e encontrar o que necessitam. A transformação digital assegura que as empresas estejam bem equipadas para envolver este público efémero, proveniente de regiões onde o digital já é o canal principal para encontrar qualquer coisa.

Além disso, o Minho tem uma diáspora a viver em várias partes do mundo, deixando a milhares de minhotos uma herança que gera saudade. Estes continuam a procurar produtos e serviços da sua terra mãe. Em resposta a essa procura, as empresas locais estão a expandir a sua presença digital para atender a esta base de clientes global.

Uma parte essencial desta transformação é a criação de lojas ‘online’, ‘E-commerce’. Estas plataformas permitem que as empresas locais mostrem os seus produtos, marcas e serviços a um público muito mais amplo. As lojas locais podem agora chegar eficazmente aos clientes a nível global, permitindo que os seus produtos cheguem a lares em todo o mundo.

Aqui, a maioria das empresas tradicionais ainda não tem lojas digitais. Os clientes locais eram tradicionalmente obrigados a visitar lojas físicas para adquirir produtos ou serviços, o que significa que, numa região como o Minho, a base de clientes locais é muito limitada. Estabelecer uma loja ‘online’ adequadamente configurada que facilite as vendas globais aumenta significativamente a base de clientes sem esforço ou custos adicionais significativos. Pelo menos, se compararmos com a abertura de várias localizações físicas espalhadas pelo nosso território.

Quando se trata de estar presente no mundo digital, como em muitas regiões, ter uma posição no Google Business é essencial, e muitas empresas ainda não têm sequer uma conta criada para este efeito, ou pior, nem sabem do que isto se trata. Esta “Rede Social de e para Empresas e Locais” por vezes, serve como o primeiro contacto para potenciais clientes que procuram empresas de uma certa e determinada região geográfica. Estratégias com plataformas de redes sociais também são bastante vantajosas, pois não só são instrumentais para alcançar clientes, mas também para construir uma presença ‘online’ credível.

A importância de plataformas como o Google Business e as redes sociais não pode ser subestimada. Não só melhoram a visibilidade e a credibilidade, como também facilitam a comunicação. Numa era em que os consumidores esperam interagir com as empresas ‘online’ e fazer compras sem sair de casa, uma presença ‘online’ robusta é um requisito para reter e atrair clientes.

A transformação digital também significa obter ferramentas de gestão novas, melhoradas e integrá-las. No final das contas, o potencial de automação é gigantesco, e estas empresas podem tornar-se muito mais eficientes, poupando significativamente muito no processo.

Na minha opinião, um dos maiores impulsionadores da velocidade atual da transformação digital, além do turismo e do público conhecedor de tecnologia que aqui trazem, são as gerações mais jovens. São nativos digitais, cresceram num mundo dominado pela tecnologia, por isso esperam que as empresas tenham uma presença ‘online’ sólida. Estes jovens minhotos frequentemente descobrem novos produtos e serviços por via de canais digitais e exigem a conveniência do envolvimento ‘online’. Se não encontrarem isso nas empresas locais, certamente o encontrarão em grandes empresas que enviam internacionalmente.

A influência desta geração, conhecida por “Geração Z e Millennials” compreende a tecnologia, estendem-se para além do comportamento do consumidor, são também empreendedores e criadores de novas empresas. Estes, ao estabelecerem os seus próprios negócios e empresas, concentram-se em ter uma presença digital sólida desde o início. O seu exemplo serve tanto como uma boa prática como um desafio para as empresas tradicionais estabelecidas. Estes jovens minhotos empreendedores destacam-se para permanecerem relevantes e competitivos, as empresas locais devem investir numa presença digital sólida para satisfazer as expectativas das pessoas que desejam alcançar.

A região está a testemunhar um aumento de empresas de produtos e serviços digitais. Estas empresas podem operar a partir dos recantos mais recônditos do Minho e mesmo assim servindo clientes em todo o mundo. Isso não só traz oportunidades econômicas aqui, mas também destaca o potencial das empresas para competir globalmente.

A jornada de transformação digital não está isenta de desafios, especialmente numa região que tradicionalmente dependeu do comércio físico durante décadas. Muitos proprietários de empresas locais estão habituados a formas de trabalho mais tradicionais e ainda não compreendem totalmente o valor das ferramentas e canais digitais. Esta aversão à mudança pode ser um obstáculo significativo. Investir no Digital muitas vezes ocupa um lugar baixo na lista de prioridades para muitas empresas até que a necessidade se torne urgente, e quando isso acontece, é tarde demais.

Outro desafio enfrentado pela comunidade empresarial é a entrada de empresas inexperientes que oferecem serviços digitais a preços muito baixos. Embora estas empresas possam não ter experiência, os seus serviços baratos muitas vezes tentam as empresas, especialmente aquelas que desconhecem os benefícios de uma presença digital robusta e de uma estratégia digital e de ‘marketing’ sólida. Como resultado, muitas empresas optam pela quantidade em vez da qualidade, acreditando que é economicamente vantajoso, mas a consequência é uma presença generalizada de conteúdo digital de má qualidade que não representa eficazmente os seus negócios e a região.

No entanto, isto apresenta uma oportunidade. Quando as empresas investem em assistência digital profissional e alocam recursos monetários apropriados, destacam-se de forma dramática. A sua presença digital é notavelmente superior, e a sua reputação espalha-se rapidamente, tanto na região como fora dela. Estas empresas não só se destacam da concorrência, como também transmitem o imenso valor de uma presença digital sólida.

Em conclusão, a transformação digital no Minho representa uma mudança significativa na forma como as empresas locais operam. Ao adotar canais digitais, estas empresas podem ultrapassar limitações geográficas, alcançar um público global e interagir com um público jovem e conhecedor de tecnologia. Existem desafios, incluindo a aversão ao investimento digital e a presença de inexperiência no mercado. No entanto, as oportunidades são vastas, já que as empresas que investem em serviços digitais de qualidade destacam-se e

acedem ao potencial do mercado global. Mal posso esperar para ver como esta revolução avança e ver mais empresas a transformarem-se e crescerem no mundo digitalmente.

FONTE: https://www.dn.pt/4984484062/a-transformacao-das-empresas-locais-do-minho-na-revolucao-digital-do-mundo/

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *